As aventuras de uma balzac teenager

Sinta-se em casa!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Take these words, promise me: you'll live before you die.

A primeira consulta pra fazer a Radioterapia foi tranquila. Chato mesmo foi contar a história do tumor desde o oi, sobre aquela arrumadinha do peito no sutiã, carocinho do lado do bico... e blá blá blá...
O médico é legal, meio bravo... Nada assustador...
Mas o mais complicado foi ficar no corredor da Santa Casa, no meio da ala da Oncologia, entre a Radioterapia e a Quimioterapia.
Quem sofre com um tratamento contra o câncer se conhece e se reconhece no olhar do outro.
Uma mulher de uns 50 anos vinha da Quimioterapia na cadeira de rodas, empurrada por um rapaz, seu filho, eu acho.
Careca como eu, de máscara, olheiras de panda, mão roxa de tantas picadas.
Ela me olhou nos olhos, lá dentro, e sorriu largo.
Só percebi isso porque ela é daquelas que sorri com os olhos tb.
Eu sorri tb.
Depois, quando ela já não me via mais, chorei.
Eu me vi nela. Ela se viu em mim.
Me lembrei de toda a fragilidade que a gente sente durante a Quimio. A desesperança. A vontade de sumir e desistir. O medo de se ver no espelho.
Ela deve ter pensado "ela também tá carequinha e eu vou sair dessa cadeira, ter a autonomia dessa moça, passar batom, pintar as unhas e fazer minha Radioterapia em paz".
Ela pode ter pensado um monte de outras coisas. Ou nada.
Mas ela sorriu gostoso. E isso já ajuda.
De lá, fui tomar sorvete...
E pensei que seria tão bom ter dias bons pra sempre...
Tomando sorvete, batendo papo com o Danilo, ouvindo música, beijando na boca, vendo o sol...
Bizussssssssssssssssssssssssssssss

3 comentários:

Tati disse...

seria tao bom nao... seus dias são tao bons... e vc tem tta força q acho q nem vc mesma sabe de onde tira...
bjsss

Cristina disse...

Daniela, quando encontro pessoas assim como nós, não precisa nem de palavras, só o olhar já basta, tanto sofrimento, rejeição, esse estigma que carregamos. Somos iguais, ricos, pobres, seja a raça que for, nos identificamos uns com os outros. Já fiz 7 sessões amiga e tenho horror aquela máquina, não gosto de nenhuma, tenho fobia, mas logo acaba! Boa sorte para vc, depois me conta tá como foi sua primeira sessão. Bjssssssssssssssssssssssss

Fábio W. disse...

É um sorriso assim que faz um dia inteiro ser bom, valer a pena. Andando no supermercado as pessoas não se olham, não se cumprimentam, esbarram umas nas outras em corredores apertadinhos mas fingem que não se veem.
Hoje eu não tava bom, mas depois de ler este post fiquei melhor.
Você merece muitos dias bons, e terá. Bjs.